As poeiras não são uma designação genérica. Trata-se sempre de poeira de alguma substância química, composto químico ou mistura dos anteriores. Isto é importante para a correta elaboração do LTCAT e/ou PPRA.

As avaliações são sempre realizadas seguindo os procedimentos descritos nas normas NR-15 e NHO-08.

Casos Específicos.

*Sílica Livre Cristalizada
Como boa prática, toda poeira que tiver mais que 1% de Sílica Livre Cristalizada deve ser tratada como “ poeira que contém sílica “, ou seja, se aplica o Anexo correspondente da NR-15.
Este percentual deve ser conhecido por informação de produto ( FISPQ / MSDS ) ou analisado na matéria bruta ou poeira sedimentada ( e posteriormente confirmado na amostra de poeira em suspensão )
*Asbestos ( Amianto )
O mesmo se aplicará para poeira s contendo fibras de asbesto, segundo o anexo constante na NR 15 do MTE e/ou na ACGIH.

*Outros casos
Para as poeiras nas quais fica excluído risco relativo à sílica livre e cristalina e aos asbestos, a avaliação será baseada na substância específica de risco ( por exemplo, Manganês ), quando houver limite de tolerância ou TLV associado.